Pesquisa da UFPB combate Fake News sobre Covid-19

Sociólogo e PhD Paulo Palhano líder do GEPeeeS/UFPB

O Grupo de Estudos em Educação, Etnia e Economia Solidária - GEPeeeS da Universidade Federal da Paraíba - UFPB sob a liderança do Sociólogo e Professor PhD Paulo Roberto Palhano Silva idealizou um projeto de monitoramento da disseminação do novo Corona Vírus na região do Vale do Mamanguape. Região essa que abrange 12 municípios (Mamanguape, Rio Tinto, Marcação, Baía da Traição, Mataraca, Jacaraú,  Pedro Régis, Curral de Cima, Lagoa de Dentro, Itapororoca, Capim e Cuité de Mamanguape). A ideia do projeto é colaborar com a sociedade do Vale do Mamanguape e com os poderes públicos constituídos no acesso à informações oficiais, confirmadas e de credibilidade. Uma das providências adotadas pelo GEPeeeS foi a criação de uma rede de acesso aos dados epidemiológicos junto as  Secretarias Municipais de Saúde do Vale do Mamanguape, além de complementar essas informações com os dados da Secretaria da Saúde do Estado da Paraíba e do Ministério da Saúde do Brasil.

Explica o professor Paulo Palhano:"Os dados são publicados através de relatórios disponibilizados ao público seguindo um trâmite peculiar: Primeiro, os pesquisadores do GEPeeeeS realizam a coleta das informações num período com intervalo de dez dias consecutivos. Isto oportuniza a análise do comportamento da pandemia da Covid-19 a cada dez dias. Segundo, após os dados coletados, os mesmos passam por uma sequência metodológica que envolve a sistematização, classificação  e tabulação  das informações pela equipe do GEPeeeS; Terceiro, ocorre uma analise das informações para a produção de descrições que irão compor o Relatório; Quarto, é o momento em que o  relatório é submetido ao crivo da validação pelo coletivo de pesquisa. Ao ser validado, o relatório passa a ser um documento aprovado;  Quinta, ao ser aprovado, imediatamente é iniciada a etapa da divulgação junto a população via meios de comunicações da UFPB e dos meios de comunicação parceiros. O relatório também é enviado aos gestores públicos para que os mesmos possam ter uma visão global da disseminação do vírus por todo o Vale do Mamanguape e não de forma isolada, apenas com os dados do seu município". Como toda pesquisa, o documento produzido é enviado na íntegra para uma rede de instituições e grupos de pesquisas, dentre os quais estão institutos, laboratórios e cientistas. O documento produzido também é  apresentado em ambientes acadêmicos.

De acordo com o pesquisador do GEPeeeS Cássio Marques: " O estudo vem rendendo  bons resultados para a coletividade do Vale do Mamanguape, sendo perceptível o envolvimento da sociedade civil e do poder público a partir de cada relatório publicado pelo GEPeeeS. A cada dez dias, o GEPeeeS presenteia ao Vale do Mamanguape com informações de credibilidade, tendo bases científicas, fruto de pesquisas em fontes seguras. Percebemos, embora não sendo o foco do monitoramento, que os relatórios produzem o  combate de outra epidemia: o das Fake News. As Fake News são boatos lançados por humanos nas mídias sociais que também gera adoecimento e  letalidade. Inclusive, muitas Fake News se multiplicam pela ação do compartilhamento entre pessoas e grupos, mas também vem sendo descoberto a presença de robores que multiplicam as mentiras eletrônicas  numa velocidade enorme. Um exemplo prático: "dizer que a pandemia acabou"  ou " que não adianta usar máscara" ou espalhar que ao tomar uma doze de combustível o indivíduo pode ficar curado do Covid 19".

O coordenador da pesquisa Paulo Palhano finalizou dizendo que a pesquisa é um excelente instrumento para os Gestores Públicos poderem redimensionar as ações dos planos com metas a curto, médio e longo prazo. Também serão beneficiados os  pesquisadores, pois terão ao seu dispor um documento para consultas acadêmicas e científicas  sobre a disseminação da  pandemia da COVID - 19 no Vale do Mamanguape, inclusive podendo realizar processos  comparativos com outras regiões do Brasil e entender se a evolução no Vale foi similar ou não a evolução no estado da Paraíba e no Brasil.

Blog do Jhordan Paes