Marcão cobra reciprocidade ao lançar nome para vice de Magna



Na última sexta-feira (10), o empresário e ex-vice prefeito de Rio Tinto, Marcos Aurélio, mais conhecido por Marcão foi o entrevistado da vez no jornalistico da rádio Interação FM e, em paralelo, ao nosso Blog.

Durante sua entrevista, Marcão, que é filiado ao Progressistas, colocou seu nome a disposição do partido para compôr a vaga de vice na chapa encabeçada pela ex-prefeita Magna Gerbasi, do mesmo partido.

Marcão lembrou que foi o candidato que mais cresceu nas intenções de voto, quando concorreu nas últimas eleições. Falou sobre sua experiência no campo político e enfatizou as qualidades que o fez colocar seu nome a disposição do grupo.

O ex-vice prefeito enalteceu em todos os momentos que pôde o casal Marcos e Magna e salientou diversas qualidades da ex-gestora que à credenciam para retornar à prefeitura de Rio Tinto. "Não há pessoa mais qualificada para administrar da melhor forma o município, quanto Magna. Por isso acredito nesse projeto." - disse ele.

Marcão respondeu os questionamentos acerca de uma possível disputa interna pela vaga com o casal Dudu e Brizola que articulam a colocação de seu filho, Fabinho, como vice na chapa. Recentemente, essa intenção se tornou pública através de uma entrevista da ex-prefeita Dudu, concedida à imprensa da região. Sobre essa situação, Marcos Aurélio foi direto:

"No momento em que Dudu não quis mais ser prefeita e quando não havia mais ninguém do grupo que quisesse concorrer em 2016, foi eu quem segurei a bandeira do grupo. Nas eleições de 2018, fui eu quem estive, ao lado do meu grupo, dando sustentação à Magna na campanha para deputados. Quero crer que o casal Dudu e Brizola irão apoiar o meu nome para a vaga, afinal quem se manteve dando sustentação quando o grupo precisou fui eu."

Sobre a especulação de que os vereadores, Edson Barbosa, Claudecir e Eraldo não apoiariam seu nome dentro do grupo, Marcão frisou:

"São pessoas que eu admiro e gosto muito. Eu só posso acreditar nisso, se eles me disserem. Enquanto isso, não sei se procede. Porém, irei defender meu nome até o fim, pois quem permaneceu na oposição desde o início fui eu, nunca saí do grupo. Por mais que o prefeito tenha me enviado convite por diversas vezes, eu nunca aceitei, pois sempre acreditei no projeto de Magna. Acho que isso me coloca numa posição de receber apoio desse grupo."

Marcão ainda ressaltou que seria vice na chapa de Magna em 2016:

"O vice de Magna em 2016 seria eu, e não houve nenhuma imposição contra meu nome naquele ano. Porquê agora seria diferente?"

Sobre a possível fala interna de Magna de que o vice viria do grupo das eleições de 2018, formado à época por Sandro, Adênio e Ele, Marcão ressaltou que manteve sua lealdade e que espera reciprocidade:

"Não posso dizer que não houve conversas nesse sentido, mas ela deixou claro para todos nós que o vice sairia daquele grupo, que acreditou em seu nome desde o início. Apesar das colocações de Sandro, ele e Adênio apoiam o meu nome para a vaga. A gente foi leal desde o início e acreditamos que Magna é o melhor para Rio Tinto. Acho que cobrar reciprocidade não é querer entrar em disputa."

Mesmo salientando que se for provocado à uma disputa interna ele iria para o debate, Marcão ressaltou que o que importa para ele é a união do grupo e que com isso consigam êxito contra o atual prefeito de Rio Tinto. Segundo ele, é o maior mal que aflige o município e que, o que importa é a união para conseguir a vitória. O ex-vice prefeito finalizou reforçando que é uma pessoa de bem e que não gosta de embates internos, por isso prega a união  a harmonia de pensamentos. Além disso, frisou que "Magna Gerbasi foi a melhor escolha que ele fez, pois é o melhor caminho para Rio Tinto voltar a sorrir".


Blog do Jhordan